Crimes sem castigo.

“Recorrer à conclusão que coloca sobre os ombros da mídia e da indústria do entretenimento, a responsabilidade pelo aumento nas ações violentas praticadas em todas as camadas sociais, é uma escolha reducionista, que se abstém de tratar as características mais profundas da origem do problema.” Leia mais »

“Efeitos colaterais“ da Pratica Médica em seus Profissionais

A influência que o ambiente exerce sobre as pessoas, individualmente ou em grupos, é parte indissociável da formação e manutenção do equilíbrio emocional de cada ser humano. E, muitas vezes, a prática da medicina coloca os profissionais de Saúde diante do enfretamento cotidiano de situações desorganizadoras, em que o seu equilíbrio emocional é provocado e se desestabiliza. Leia mais »

Violência no trânsito.

Todos somos vítimas e algozes em uma realidade que insistimos em não modificar. No relatório mundial sobre a situação da segurança rodoviária apresentado pela Organização Mundial da Saúde - OMS, com informações de 182 países, o número de vítimas de acidentes envolvendo veículos em 2010 foi 1.24 milhão, a maioria homens com idade inferior a 44 anos. Leia mais »

 

Tag Archives: incêndios

Impacto emocional e tratamento após tragédias.

A realidade e o apoio que precisa ser oferecido à população de Santa Maria. Vivemos um momento de dor, e eu não desejo manifestar-me como “oportunista” a partir de um acontecimento tão

Santa Maria – RS

A Rede Ibero-americana de Ecobioética / Cátedra UNESCO de Bioética, se solidariza com a população de Santa Maria e de todo o estado do Rio Grande do Sul. E está à disposição

Psicologia em tempos de tragédia.

Artigo publicado na Revista Mente e Cérebro, ed. 221 – junho de 2011. Erane Paladino e José T. Thomé Pessoas de diferentes cantos do mundo têm assistido, abaladas, às imagens dos efeitos

CATÁSTROFE DE CROMAÑÓN

Habla Moty Benyakar, titular de la Sección Desastres de la WPA: “La atención debería prolongarse durante por lo menos tres años” El especialista en atención de víctimas de catástrofes asegura que no